a primeira visita.
2016/03/22

a primeira visita.

dois meses depois e regressei ao meu país. 4 dias de visita.
o coração cavalgava veloz dentro do peito ao ver lisboa lá de cima. a ponte, o rio tejo, a basílica da estrela, entrecampos, a avenida da igreja. o calor no ar e uma sopa de feijão encarnado à minha espera.
os sítios e os caminhos de sempre. o mar, senhores, o mar.
horário feito quase ao nano-segundo de tão cheio mas que deu para tudo, sobretudo encher o coração. 
fez-me bem. soube-me bem. foi bom. 
e descobri coisas importantes: que o meu coração sossega mais se tiver uma data de visita projectada - agora já sei que daqui a 2 meses estou de volta - que as saudades se podem mesmo matar, que o que te liga às tuas pessoas não se altera e mais importante que tudo, que a minha casa, é onde ele estiver. ao fim de 4 dias, já estava com vontade de regressar a casa. a amesterdão. 
as coisas começam a compôr-se. ele tem um emprego de sonho e eu fui hoje surpreendida com um recibo de vencimento mais positivo do que o que estávamos à espera. estou registada na cidade, sou oficialmente residente da holanda. e à hora do almoço assinámos os papéis daquela que é, não só a nossa primeira conta bancária na holanda, como a nossa primeira conta-conjunta. 
a minha avó faz hoje 91 anos e o meu coração está descansado que lhe deu mimo no fim-de-semana. 
o frio começa a desaparecer e sente-se no ar a chegada da primavera. com ela, a esperança de uma vida melhor. 
sim, tenho saudades. mas daqui a 8 semanas regresso ao bacalhau com natas e à segunda-circular. 


[nota: depois de ter tirado esta fotografia corri até à beira-mar como se tivesse 7 anos.]